18 de out de 2013

São Vicente realiza o 1º Fórum Regional Cultura Viva e elege delegados para TEIA nacional




Conforme deliberação do III Fórum Paulista de Pontos de Cultura 2013, realizado nos dia 08 a 10 de agosto, na Capital - São Paulo, a organização da Rede de Pontos de Cultura do Estado de São Paulo e a relação com os entes federados (União, Estado e Municípios) será feita por meio do Fórum Permanente da Rede Cultura Viva do Estado de São Paulo, que deverá ser instalado até 31 de dezembro de 2013 a partir dos Fóruns Regionais.

Para dar inicio a este processo de criação dos mesmos no dia 17 de outubro foi realizado em São Vicente o 1º Fórum Regional Cultura Viva das Sete Cidades & Baixada Santista na Câmara legislativa  de São Vicente. Foram eleitos 10 delegados que vão representar o grupo no Fórum Nacional e na TEIA Nacional 2014. O evento acontecerá em Natal, no Rio Grande do Norte. 





 
São Vicente vai ser representada por 4 delegados. Marcelo Luiz Souza - Ponto de Cultura da Associação Vida Esperança, Ana Patricia - Ponto de Cultura Arte Acesso, Anguair Gomes – Ponto de Cultura Aldeia das Artes e Mauricio Oliveira – Ponto de Cultura Identidade e Região: Laboratório Caiçara de produção Audiovisual do CAMPSV.

Ao fim da eleição para delegados, a Deputada Telma de Souza deu uma palavra de incentivo aos presentes, e ressaltou a importância da militância cultural pelo acesso a cultura.





Participaram Pontos de Cultura conveniados com o MinC, Conselho Municipal de Política Cultural de São Vicente, Representação Regional do ministério da Cultura Secretaria de Cultura de São Vicente, perfazendo um total de 75 Pontos de Cultura e 3 Redes Municipais.
                         
O objetivo proposto dos Fóruns Regionais é o intercambio de experiências, trocas de saberes, fazeres e tecnologias sociais, fortalecimento do Programa Cultura Viva e da Política Cultural do Estado de São Paulo e do Brasil em consonância com o Sistema Nacional de Cultura e as metas do PNC - Plano Nacional de Cultura.

No período da tarde, foi realiada uma
Audiência Pública sobre a "Lei Cultura Viva", de autoria da deputada estadual Leci Brandão, que fez uso da palavra elucidando diversas dúvidas sobre os Pontos de Cultura, o Programa Cultura Viva e a política de Cultura do Governo Federal.

Ponteiras e Ponteiros das Redes de Pontos de Cultura do Estado de São Paulo



Conforme deliberação do III Fórum Paulista de Pontos de Cultura 2013, realizado nos dia 08 a 10 de agosto, na Capital -São Paulo, a organização da Rede de Pontos de Cultura do Estado de São Paulo e a  relação com os entes federados (União, Estado e Municípios) será feita por meio do Fórum Permanente da Rede Cultura Viva do Estado de São Paulo, que deverá ser instalado até 31 de dezembro de 2013 a partir dos Fóruns Regionais. 
Para dar inicio a este processo de criação dos mesmos no dia 17 de outubro será realizado em São Vicente o 1º Fórum Regional Cultura Viva das Sete Cidades & Baixada Santista.

Nesta região temos Pontos de Cultura conveniados com o MinC, SEC e as Prefeituras de Diadema, São Bernardo e São Vicente, perfazendo um total de 75 Pontos de Cultura e 3 Redes Municipais (lista em anexo)
O objetivo proposto dos Fóruns Regionais é o intercambio de experiências, trocas de saberes, fazeres e tecnologias sociais, fortalecimento do Programa Cultura Viva e da Política Cultural do Estado de São Paulo e do Brasil em consonância com o Sistema Nacional de Cultura e as metas do PNC-Plano Nacional de Cultura.

Além disso teremos no período da tarde a Audiência Pública "Lei Cultura Viva" e a eleição da delegação para o Fórum Nacional de Pontos de Cultura e a TEIA Nacional 2014 em Natal/RN, proporcional o número de participantes do Fórum SP 2013

Deliberações 



Representação da rede estadual de Pontos de Cultura

Fica instituído o Fórum Permanente da Rede de Pontos de Cultura do Estado de São Paulo (tendo também Fóruns Permanentes Regionais), que tem como nova forma de Organização, Participação e Deliberação da Rede dos Pontos de Cultura do Estado de SP os princípios básicos:
Princípio de Autogestão;

Princípio de Descentralização;


Princípio de Perspectiva Democrática de Políticas Culturais respeitando princípios de cidadania, diversidade cultural, e regionalização.


Cada Região poderá encontrar seu próprio sistema de definição de políticas públicas considerando a necessidade de descentralização e possa atender uma maior quantidade de pessoas com o pressuposto do fazer da política pública. Esta maior quantidade de pessoas está relacionada a abertura de espaços para propostas de cidadania.


Cabem aos participantes e instituições que se relacionam com o Cultura Viva garantir intercâmbio, capacidade, e experiências que enriqueçam o trabalho da Rede dos Pontos de Cultura.


Além de reconhecer de forma relevante às metodologias e as sistematizações próprias, e não impostas.

28 de ago de 2013

A Lei Cultura Viva foi aprovada

A Lei Cultura Viva foi aprovada ,hoje, dia 27 de agosto na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados!!!! Agora o projeto vai direto para o Senado. Se aprovado, segue para a sanção presidencial!!! 

Esta é uma demanda real da sociedade civil, protagonista do Programa Cultura Viva que foi desenvolvido pelo Ministério da Cultura e engendrou em rede cerca de 4 mil iniciativas culturais. Envolveram em suas atividades cerca de 8 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), em pesquisa realizada no ano de 2009.

Assim sendo, a Lei Cultura Viva é mais que a consolidação de um programa, representa uma nova forma de governos se relacionarem e dialogarem com a sociedade. Uma sociedade que há muito tempo já faz, seja diretamente pela cultura ou outros campos da vida, trabalhos em comunidade. E agora quer ser reconhecida em seu protagonismo e em suas formas de autogoverno, mais autonomas e descentralizadas.

22 de jul de 2013

"1ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA DE SÃO VICENTE"

Acontecerá no dia 03 de Agosto de 2013, das 9h às 17h nas instalações da Escola Técnica Estadual Dra. Ruth Cardoso, ETEC SV, situada na Praça Coronel Lopes, nº 387 - Centro - SV. 

A conferência de cultura é um espaço destinado ao encontro entre cidadãos e representantes do governo, com o objetivo de debater e propor políticas, programas e ações para serem desenvolvidos nos próximos anos. Os debates acontecerão de acordo com as diretrizes do Regimento da 3ª Conferência Nacional de Cultura.

As inscrições já estão abertas, em anexo enviamos a ficha de inscrição. Inscreva-se já por um dos modos:

- Digital: imprima, preencha e assine a ficha de inscrição; digitalize o documento em pdf e reenvie para este email.
- Presencial: das 8h às 18h na sede da Secretaria da Cultura, situada à Av. Embaixador Pedro de Toledo, 953 - Praia do Gonzaguinha -São Vicente

OBS: Temos fichas impressas.

Para quem se interessar em representar o município na Conferência Estadual de Cultura que acontecerá nos dias 11 e 12 de Setembro de 2013, poderá se inscrever como "Delegado de Cultura". Para tal é necessário anexar à ficha de inscrição o currículo de atuação cultural de no mínimo 2 anos e comprovante de residência. Os candidatos devem ser maiores de 18 anos.

*Quem não puder se cadastrar antecipadamente, poderá ainda se credenciar no dia e local da conferência, das 8h às 9h da manhã, antes do início dos trabalhos. Neste caso, os candidatos a delegados, devem estar portando todos os documentos complementares, não havendo possibilidade de entregá-los posteriormente.

Divulguem, por favor!!!
Obs. para tirar suas dúvidas, favor enviar para este e-mail ou ligar no 3468-1528.

Aguardamos a participação de todo o conselho!!! 

Repasso aqui o eixos das discussões para nos prepararmos:

I - IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE CULTURA - Foco: Impactos da Emenda Constitucional do SNC na organização da gestão cultural e na participação social nos três níveis de governo (União, Estados/Distrito Federal e Municípios).
1 - Marcos Legais, Participação e Controle Social e Funcionamento dos Sistemas Municipais, Estaduais/Distrito Federal e Setoriais de Cultura, de acordo com os Princípios Constitucionais do SNC;
2 - Qualificação da Gestão Cultural: Desenvolvimento e Implementação de Planos Territoriais e Setoriais de Cultura e Formação de Gestores, Governamentais e Não Governamentais, e Conselheiros de Cultura;
3 - Fortalecimento e Operacionalização dos Sistemas de Financiamento Público da Cultura: Orçamentos Públicos, Fundos de Cultura e Incentivos Fiscais;
4 - Sistemas de Informação Cultural e Governança Colaborativa.
II - PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL - Foco: O fortalecimento da produção artística e de bens simbólicos e da proteção e promoção da diversidade das expressões culturais, com atenção para a diversidade étnica e racial.
1 - Criação, Produção, preservação, intercâmbio e circulação de Bens Artísticos e Culturais;
2 - Educação e Formação Artística e Cultural;
3 - Democratização da Comunicação e Cultura Digital;
4 - Valorização do Patrimônio Cultural e Proteção aos Conhecimentos dos Povos e Comunidades Tradicionais.
III - CIDADANIA E DIREITOS CULTURAIS - Foco: Garantia do pleno exercício dos direitos culturais e consolidação da cidadania, com atenção para a diversidade étnica e racial.
1 - Democratização e Ampliação do Acesso à Cultura e Descentralização da Rede de Equipamentos, Serviços e Espaços Culturais, em conformidade com as convenções e acordos internacionais;
2 - Diversidade Cultural, Acessibilidade e Tecnologias Sociais;
3 - Valorização e Fomento das Iniciativas Culturais Locais e Articulação em Rede;
4 - Formação para a Diversidade, Proteção e Salvaguarda do Direito à Memória e Identidades.
IV - CULTURA E DESENVOLVIMENTO - Foco: Economia criativa como uma estratégia de desenvolvimento sustentável.
1 - Institucionalização de Territórios Criativos e Valorização do Patrimônio Cultural em Destinos Turísticos Brasileiros para o Desenvolvimento Local e Regional;
2 - Qualificação em Gestão, Fomento Financeiro e Promoção de Bens e Serviços Criativos Nacionais no Brasil e no Exterior;
3 - Fomento à Criação/Produção, Difusão/Distribuição/Comercialização e Consumo/Fruição de Bens e Serviços Criativos, tendo como base as Dimensões (Econômica, Social, Ambiental e Cultural) da Sustentabilidade;
4 - Direitos Autorais e Conexos, Aperfeiçoamento dos Marcos Legais Existentes e Criação de Arcabouço Legal para a Dinamização da Economia Criativa Brasileira.

15 de nov de 2012

Conselho Municipal de Politica Cultural elege diretoria, a reportagem da Rádio Primeira FM conversou com o presidente



O Conselho Municipal de Politica Cultural elege sua Mesa diretora, a reportagem da Rádio Primeira  FM conversou com o atual presidente, Mauricio Oliveira que falou sobre as diretrizes e principais objetivos do Conselho, escute a entrevista na integra

13 de nov de 2012

Do Ego ao Eco ao Ícone


Em um futuro muito próximo, daqui a 3 anos, 155 milhões de pessoas usarão celular com internet no Brasil, afirmou Gerd Leonhard no seminário realizado em São Paulo, no Museu da Imagem e do Som, como parte da agenda associada à disciplina “Economia do Audiovisual Internacional” (CTR-ECA-USP) e apoio da rede internacional “Games for Change”.

Leonhard é um dos mais prestigiados futuristas da mídia, referência do “Wall Street Journal” e consultor bastante requisitado pelas empresas de telecomunicações, mídias e artes digitais.

O seminário teve participações de Davi Nakano, professor da Escola Politécnica especialista em Economia Criativa e Gestão do Conhecimento e Gilson Schwartz, professor da Escola de Comunicações e Artes, líder do Grupo de Pesquisa Cidade do Conhecimento e diretor para América Latina da rede internacional “Games for Change”.



Para Gerd, a telefonia celular e a internet são dois grandes diferenciais no período de transição econômica em que vivemos. São fundamentais para entender os mercados num futuro próximo. O cenário dessa convergência é dado pela transição entre o “Ego” e o “Eco”, tema do mais recente livro de Gerd Leonhard.

O Ego é o centro na situação atual, um “egosistema”, em que um empresário preocupa-se apenas com os lucros no prazo mais curto possível.  Já o “Eco” remete não apenas ao sentido ecológico, mas a uma sociedade interconectada, fluída, em que a pergunta central para a geração de renda é “isso vai fazer bem para o mundo?”.

Neste “Capitalismo 2.0″ não se abre mão da rentabilidade, mas há inovação quando o retorno inclui a própria sociedade no cálculo.


Para Leonhard, a falta de diálogo social em temas como aquecimento global e pirataria, problemas universais, são evidências de que o capitalismo como conhecemos hoje é cheio de falhas de mercado que não se corrigem automaticamente com o tempo.

Para incluir o contexto ecossistêmico no cálculo econômico é preciso rejeitar o conceito de crescimento fundado no PIB, que mede apenas a renda e o produto sem levar em conta os custos, especialmente os sociais e ambientais, da acumulação de capital.  “Se você não mede a coisa certa, você não faz a coisa certa. Vivemos em uma economia suicida”, diz Leonhard, para quem a transição para um novo ecossistema depende da ação dos governos.



Ego, Eco, Ícone

Ao final, Davi Nakano e Gilson Schwartz apontaram desafios para que a transição seja realizada no Brasil. Para Nakano, há desafios de gestão importantes e que dependem de aspectos normativos, de regulação dos mercados e também de cultura e comportamento.  Para Schwartz, é preciso planejar o processo de transição contruindo por meio da comunicação as mediações entre “ego” e “ecosistema”. O terceiro elemento mediador da contradição é o ícone, em especial a literacia digital (domínio de códigos e competências para gerar valor nas redes digitais).

A discussão com o público levou a temas como a preocupação com um futuro em que tanta tecnologia possa significar ainda mais perda de controle e autonomia pelos indivíduos e comunidades.

Por Luiza Fernandes (ECA-USP), bolsista de Iniciação Científica com apoio da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da USP.




8 de nov de 2012

Seminário:inovação tecnológica e novas mídias? O Futuro do Ego



De músico profissional a consultor celebrado pelo “Wall Street Journal” entre os mais antenados futuristas do capitalismo em formação após o 11 de setembro, a internet e Fukushima, Gerd Leonhard volta ao Brasil para colocar em discussão sua mais recente formulação: do ego ao eco.

É mais uma forma, especialmente sedutora pela simplicidade, com que podemos traduzir o mal-estar na sociedade do espetáculo, dos espelhos com filtros, das esperanças animadas pelo consumo mais que pelo investimento, das espirais egocêntricas.

A espiral que aponta para baixo conduz ao utilitarismo mais imediatista: maximizar o prazer, minimizar a dor, os custos e a censura alheia. É o império do ego.

Uma espiral ascendente nos conduz à ecologia, aos ecossistemas, à economia, aos ecos da nossa e de muitas vozes que se cruzam nas redes em busca de mais reconhecimento, mais afeto e mais conhecimento (afinal, trata-se de re-conhecimento).

Como as empresas que precisam sobreviver num mundo em rede vão transformar o marketing, a inovação, seus modelos de negócios e de financiamento para participar de forma criativa e sustentável dessa dinâmica entre egos e ecos?

O egoísmo tem futuro? Os negócios sociais serão cada vez mais lucrativos e sustentáveis? O Estado é um grande ego? Redes funcionam como ecosistemas biopolíticos? Como as novas mídias e a cultura digital afetam todas as cadeias produtivas? Qual os impactos da internet das coisas na engenharia de produção de produtos, serviços e conhecimentos? Os ícones digitais são uma fronteira da convergência entre egos e ecos?


                                Gerd Leonhard, Gilson Schwartz,  Mauricio Oliveira: Obrigado mestres



Qual a relação entre economia verde, inovação tecnológica e novas mídias?

Rumo ao futuro sustentável pela economia criativa com Gerd Leonhard.
Futurista, autor de 5 livros, Keynote Speaker e fundador do GreenFuturists.com. Seu expertise vem da área da música. Em 1985 foi premiado com o "Quincy Jones Award" do Berklee College. Após 10 anos atuando como músico profissional, Gerd tornou-se umempreendedor de mídia digital e CEO de uma start-up de internet.

Suas apresentações e discursos são reconhecidos por seu impacto, por provocarem e serem ao mesmo tempo inspiradores. Com mais de 1.300 convites em 43 países desde 2003, Gerd tem alcançado mais de 200.000 executivos e profissionais.

Gilson Schwartz
Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais (PPGMPA-USP)
Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades(FFLCH-USP)
Grupo de Pesquisa Cidade do Conhecimento.





6 de nov de 2012

Conselho Municipal de Politica Cultural de São Vicente elege sua mesa diretora

                                         cine 3D eleição da mesa diretora do Conselho Cultura

          O Conselho de Politicas culturais de São Vicente, realizou nesta última segunda-feira (05) no Cine 3D, as eleições internas para eleger a mesa diretora ou presidência do Conselho, quase 30 conselheiros estiveram presentes entre titulares e suplentes confirmando kórum para votação. 
          A disputa foi acirrada até o último voto, após a 2ª chamada 17 representantes estavam aptos a votar, com 9 votos a favor Mauricio Oliveira assume a presidencia,  Anguair Gomes teve 8 votos é o vice- presidente, João Carlos Estógio o 1ªsecretáriio, Debora Maria Pereira de Oliveira Silva a 2ºsecretária, Danilo Tavares o 1º tesoureiro e Fernando Rino como 2º tesoureiro. Essa composição tomou posse de suas funções e atuará pelos próximos 2 anos podendo ser reeleita.                                                        
        Criado pela Lei 2912-A, o CMPC Conselho Muncipal de Politica Cultural de São Vicente é um órgão colegiado deliberativo, consultivo e normativo, é integrante da estrutura básica da secretaria de Cultura, com composição paritária entre Poder Público e a Sociedade Civil, de caráter permanente na estrutura do Sistema Nacional de Cultura. Composto por 26 membros: 13 representantes do poder público e 13 da sociedade civil.
        “A criação do Conselho é a primeira etapa de um trabalho iniciado com a implantação do Fundo Municipal de Cultura que será completado com a elaboração do Plano Municipal de Cultura e a Lei Municipal de Incentivo a Cultura. Essas estruturas são fundamentais para que São Vicente tenha as condições mínimas necessárias para integrar o Sistema Nacional de Cultura”. 
                                   Mauricio Oliveira  assinando  livro  ata num  ato  tomando posse

 O presidente eleito do conselho é Coordenador Técnico em Cultura e representante da cadeira de Ciência e Tecnologia, Mauricio Oliveira, falou sobre o papel dos conselheiros de mobilizar e organizar seus seguimentos, a criação e adequação de projetos culturais para o fortalecimento do Conselho e dos seguimentos culturais, o acompanhamento da produção destes, além de acompanhar a abertura de editais voltados à cultura e a economia criativa.

                                         Anguair,Rino, Danilo, Estógio, Mauricio e Debora 

“Chegamos ao fim de um processo democrático que teve inicio no 3º Fórum de Cultura e eleição do Conselho no dia 9 de setembro, o mais importante é que tudo aconteceu antes das eleições municipais, o Conselho de Politica Cultural é uma conquista da Sociedade Civil, e vai além o CMPC é um instrumento de garantia de direitos ao acesso e aos bens culturais”, ressaltou Mauricio.

 De acordo com todo o colegiado, o Conselho terá um papel ainda mais importante a partir de agora, já que vão ocorrer mudanças políticas para que o Município se enquadre no Plano Nacional de Cultura - PNC, voltado para promoção da diversidade cultural brasileira.

 Dentre as atribuições do CMPC estão: fiscalizar a execução dos projetos culturais e a aplicação de recursos, emitir pareceres sobre questões técnico-culturais, participar da formulação de políticas públicas do Governo Municipal na área da cultura, incentivar a proteção do patrimônio cultural, valorizar as manifestações culturais locais e regionais, incentivar pesquisas sobre a Cultura Vicentina, entre outras ações.                                                                               

Segundo Mauricio, existem boatos sobre a junção da Secretaria Municipal de Cultura, a Secretaria de Esportes e a Secretaria de Turismo o que poderá ser um retrocesso, temos muito trabalho pela frente, o prazo final para a inclusão do Municipio no SNC - Sistema Nacional de Cultura é até o fim da 1ª quinzena de dezembro desse ano, o Fundo Municipal de Cultura foi criado em 2009 sendo imcorporado a atual gestão do Conselho.

 “Estamos trabalhando muito, contamos nesse processo com a ajuda dos profissionais da SECULT,  Lua Marina Topp, Tatiane Cantadori de Almeida, José Roberto Marx e Diego Spósito. Aos 45 minutos do segundo tempo obtemos exito, e até o fim do ano estaremos fazendo assembleias tanto para incluir São Vicente ao SNC – Sistema Nacional de Cultura quanto para planejarmos as ações para o próximo ano que coincidem com a chegada do novo secretario de cultura e inicio de um novo governo ”. 

10 de set de 2012

Eleição define Conselho de Cultura de São Vicente

A Cidade de São Vicente realizou no dia 9 de setembro de 2012, das 14 às 17 horas, as eleições para eleger os representantes no Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC). As votações ocorreram durante o 3º Fórum de Cultura de São Vicente, na ETEC Doutora Ruth Cardoso – Praça Coronel Lopes, 387 – São Vicente/SP. O fórum teve início às 9h com palestra de representantes do Ministério da Cultura, após as palestras do período matutino, acorreram as votações a partir das 14 horas. As eleições foram abertas a toda a população vicentina, bastando apenas apresentação do título de eleitor, para comprovação de residência no município.

"Avançamos: num processo democrático, contamos com a participação popular de mais de 400 pessoas", Mauricio Oliveira.


Segue relação dos conselheiros eleitos e os seus segmentos:

Teatro
 Titular: Fernando Lucio F. da Silva Rino
 Suplente: Miriam Aparecida Vieira

Artes Plásticas
 Titular: Maria Luzia de Queiroz de Oliveira
 Suplente: Fúlvia Aparecida Martins

Música
 Titular: Uma boa música ao alcance de todos ( ex – banda Matteo Bei)
 Suplente: Nilza de Andrade Loschialvo

Culturas Populares
 Titular: Amir de Carmo F. Pires.
 Suplente: Paulo César Costa e Silva

Dança
 Titular: Dionie de Lima Mello
 Suplente: Maria de Fátima Abreu

Culturas Tradicionais
 Titular: Paulo César Brossachio
 Suplente: Marcio Roberto O. Barreto

Cultura Negra
Titular: Anguair Gomes dos Santos
Suplente: Gabriel Valério de Oliveira Araújo

Artesanato

 Titular: Débora Maria P. de Oliveira Silva
 Suplente: Associação Vida e Ética

Literatura
 Titular: Deise Domingues Gianninni
 Suplente: Nair de Brito

Artes Visuais
Titular: Ivone Rodrigues de Freitas
Suplente: Cláudio Pereira Correa

Artes Circenses
 Titular: Roberto França Gonçalves
 Suplente: Luiz Carlos da Silva Lopes

Ponto de Cultura
 Titular: ADSV – Associação dos Deficientes Físico de São Vicente
 Suplente: Oswaldo da Cruz

 Audiovisual
 Titular: Alessandro Cruz dos Santos
 Suplente: Madeleine Alves dos Santos

29 de ago de 2012

Eleições para o Conselho Municipal de Política Cultural de São Vicente



    A Cidade de São Vicente realiza neste dia 9 de setembro de 2012 , das 14 às 17 horas, as eleições para eleger os representantes no Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC). As votações ocorrem durante o 3º Fórum de Cultura de São Vicente, na ETEC Doutora Ruth Cardoso – Praça Coronel Lopes, 387 – São Vicente/SP.
   
   O fórum tem início às 9h com palestra do Ministério da Cultura e, após as palestras do período matutino, terá continuação com as votações a partir das 14 horas. As eleições são abertas a toda a população vicentina, bastando apenas apresentação do título de eleitor, para comprovação de residência no município.
Criado pela Lei nº 2912-A, o CMPC é composto por 26 membros, numa estrutura paritária, com membros representantes do poder público e da sociedade civil. O domingo (9) será o dia de eleger os 13 representantes setoriais, preenchendo as 13 cadeiras destinadas aos segmentos culturais da cidade.
  
 Este é o resultado de um movimento popular de grande importância na representação artístico-cultural, nomeado Movimento Pró-Cultura de São Vicente, que se iniciou no 2º Fórum de Cultura Vicentino, em setembro de 2011, com reivindicações da classe e articulação dos líderes culturais.
  
  Dentre as atribuições do CMPC estão: fiscalizar a execução dos projetos culturais e a aplicação de recursos, emitir pareceres sobre questões técnico-culturais, participar da formulação de políticas públicas do Governo Municipal na área da cultura, incentivar a proteção do patrimônio cultural, valorizar as manifestações culturais locais e regionais, incentivar pesquisas sobre a cultura Vicentina, entre outras ações.
   
  O Conselho estabelece diretrizes e prioridades para o desenvolvimento cultural do Município. Ele é um órgão colegiado, integrante da estrutura organizacional básica da Secretaria de Cultura. A criação do Conselho é a segunda etapa de um trabalho iniciado com a implantação do Fundo Municipal de Cultura e que será completado com a elaboração do Plano Municipal da Cultura, entre outras ações. Essas estruturas são fundamentais para que São Vicente tenha as condições mínimas necessárias para integrar o Sistema Nacional de Cultura.

10 de ago de 2012

FORAM PRORROGADAS AS INSCRIÇÕES PARA ELEIÇÃO DE REPRESENTANTES DO CONSELHO DE POLÍTICA CULTURAL DE SÃO VICENTE


         Reunião da Comissão de implantação do Plano Nacional de Cultura em São Vicente 

    As inscrições para a eleição dos representantes que irão compor o Conselho de Política Cultural de São Vicente seguem até 17 de agosto. Interessados em concorrer para representar a sociedade civil no Conselho, devem comparecer na Secretaria de Cultura de São Vicente (Avenida Embaixador Pedro de Toledo, 593 – Gonzaguinha) das 9 às 12 horas e das 14 às 18 horas..
 
      Segundo a coordenadora Lua Marina Juns Topp o proceso de criação do conselho é muito importante para promover o debate e a construção conjunta, “município x sociedade”, das políticas públicas voltadas para a área da cultura. “Participar das construções e mudanças de processos políticos culturais em nossa Cidade é poder conhecer, debater e construir juntos, dando respostas aos desafios por meio da gestão articulada e compartilhada entre Município e sociedade”, afirma Lua Marina Juns Topp. 

     De acordo com o coordenador do Ponto de Cultura “Identidade e Região” Mauricio Oliveira após um longo debate entre a sociedade civil e o poder público, finalmente o Conselho de Politicas Culturais vai sair do papel, esse é o pensamento da Comissão responsável pelo processo de inclusão do município de São Vicente ao Plano Nacional de Cultura. 

     “A muito tempo a classe esta articulando a criação desse conselho, as pessoas que trabalham com cultura na cidade, debatem a favor do conselho, da tão sonhada, lei municipal de incentivo a cultura, e por fim a valorização do trabalho dos artistas e produtores culturais. O Conselho de Politicas Culturais é uma das condições para adesão ao Plano Nacional de Cultura do Governo Federal. Mas não é só isso, o plano contém, 53 metas, ou seja o trabalho esta apenas começando”, afirma Mauricio Oliveira. 

     As eleições acontecem no dia 9 de setembro. Os membros terão que deliberar diretrizes gerais da Política de Cultura, por meio de coordenação da comissão de implantação do Plano Municipal de Cultura. Deverão também colaborar com a Secretaria Municipal de Cultura e na elaboração das políticas, dentre outras atividades.

9 de out de 2011

Concorremos ao Prêmio Jovem de Atitude: matéria publicada no caderno CAMPUS do Jornal A TRIBUNA

Vote no site da TRIBUNA. Conheça, de sua opinião
A vida contada em vídeo

Vote aqui! http://hotsites.atribuna.com.br/atribuna/projetocampus/conteudo.asp?idconteudo=1194

Jovens de São Vicente participam de Projeto http://identidaderegiao.blogspot.com.br
"Identidade e Região: Laboratório Caiçara de Produção Audio Visual"

Preservar e contar a história de São Vicente ensinando jovens da periferia da cidade a produzir documentários. Esta é a proposta do Projeto Identidade e Região: Laboratório Caiçara de Produção Audiovisual, criado pelo jornalista Maurício Oliveira, de 34 anos.

Tudo começou com o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) no curso de Jornalismo do Unimonte. “Percebi a dificuldade da grande maioria dos adolescentes sem acesso à arte e cultura, para conquista da autonomia. E como jornalista queria fazer um TCC que mostrasse trabalhos de comunicadores com algum resultado positivo para os adolescentes”, explica Maurício. O título do trabalho foi Por dentro de uma oficina de vídeo: Educomunicação Audiovisual.

Educomunicação

O jornalista começou a pesquisar e descobriu o conceito da “educomunicação”, que utiliza a prática da produção do fazer a comunicação para estimular a pesquisa e a criação e conceitos formadores de opinião mais crítica no aprendiz. “Fui criado e moro na Cidade Náutica. Os problemas de acesso ao conhecimento que os jovens têm hoje foram os maiores problemas que eu tive. Como cidadão vicentino, percebi a dificuldade que temos em preservar as nossas histórias. As de 60 anos pra cá, acho que, como jornalista, devemos preservar”.

O projeto Identidade e Região: Laboratório Caiçara de Produção Audio Visual foi aprovado pelo Ministério da Cultura e sua atividade vai durar três anos. Estão previstas no plano de trabalho a realização de 13 oficinas de vídeo com a participação de cinco jovens por oficina, totalizando 65 e 13 filmes-documentários, cada um sobre uma região administrativa de São Vicente. “O laboratório foi montado, adquirimos os equipamentos necessários, estou finalizando a primeira oficina e o primeiro vídeo”, avisa.

fonte: matéria publicada no caderno CAMPUS/ A Tribuna

20 de set de 2011

Turismo Náutico x Ponte Pênsil

     A Ponte Pênsil ajuda ou atrapalha?
     É possível moderniza-la?
     Como podemos transformar o potencial de ecoturismo e turismo náutico?

     Neste vídeo estão Marcos Leme - pres. da soc. de melhoramentos Pq. Prainha, Rose Figueira - moradora, Brito Coelho - secretário de Turismo do Municipio/SV e Marcio França - secretário de Turismo do Estado/SP
     Assista, e dê sua opinião!!!

     A ação democrática é a participação colaborativa, contribua com sua opinião!

Participe da construção de um novo marco regulatório para as comunicações brasileiras!


A Constituição brasileira estabelece os princípios e regras mínimas que devem ser respeitadas pelos meios de comunicação de massa, ou seja, o rádio e a TV, que são concessões públicas. Por exemplo: não pode haver monopólio na mídia; as emissoras devem veicular programação regional e independente; a prioridade deve ser para conteúdos informativos e culturais; o país deve ter um forte sistema público de comunicação; o direito de resposta deve ser garantido; é vedada qualquer censura de natureza política e ideológica; etc

O problema é que até hoje a Constituição não é cumprida porque depende de leis específicas para isso. Ao mesmo tempo, as poucas leis que existem não são respeitadas ou estão ultrapassadas. Para se ter uma idéia, o Código Brasileiro de Telecomunicações é da década de 60, quando ainda assistíamos TV em preto e branco e internet era algo desconhecido.

Já passou da hora de mudarmos essa realidade e construirmos uma comunicação de fato democrática no Brasil, que garanta pluralidade, diversidade e liberdade de expressão para todos - não só para os donos da mídia. Em 2009, milhares de cidadãos e cidadãs brasileiras participaram da I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), que teve como uma de suas principais resoluções a afirmação da necessidade de um novo marco regulatório para as comunicações no nosso país.

De lá pra cá, considerando os debates da Confecom, movimentos populares e organizações da sociedade civil aumentaram a mobilização em prol de uma nova lei geral para o setor. Ao mesmo tempo, o governo federal elaborou um projeto, que ainda não foi tornado público, mas vem sendo discutido no Ministério das Comunicações. 

Para incentivar que o conjunto da população participe deste debate, dizendo que mídia quer para o Brasil, diversas organizações que historicamente lutam pela democratização da comunicação lançaram uma consulta pública na internet. A idéia - partindo de uma proposta inicial, com princípios, objetivos e 20 diretrizes - é construir um conjunto de propostas da sociedade civil para a legislação de comunicação, ou seja, uma plataforma da sociedade civil para o novo marco regulatório, que depois será apresentada ao poder público.

A consulta pública fica aberta até 7 de outubro e qualquer pessoa pode dar suas contribuições. Um documento final será consolidado para lançamento no Dia Mundial da Democratização da Mídia, 18 de outubro.

Convidamos todos e todas então a participar deste processo! Sua opinião é fundamental para que a diversidade brasileira - regional, étnico-racial, de gênero, orientação sexual, classe etc - também esteja presente nesta plataforma da sociedade civil. Entre no site www.comunicacaodemocratica.org.br e contribua com a consulta pública por um novo marco regulatório das comunicações. Vamos juntos construir uma mídia plural e verdadeiramente democrática!

fonte:Sindicato é pra lutar!

19 de mai de 2011

DIÁLOGO BRASIL AUDIOVISUAL


A Secretaria de Audiovisual do Ministério da Cultura inaugura, nos dias 21 e 22 de maio, na cidade de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, uma série de encontros que serão levados a várias regiões do país denominados de Diálogos Brasil Audiovisual. O evento tem como objetivo discutir com produtores, realizadores e representantes do audiovisual, as políticas públicas do MinC para o segmento.

“A agenda é uma iniciativa que busca fortalecer ainda mais o diálogo com os diversos setores do audiovisual. Diálogos Brasil Audiovisual representa a continuidade em busca do novo”, justifica a secretária de Audiovisual Ana Paula Santana.

A ação empreendida pela SAv prevê para o ano de 2011 três encontros regionais. Depois de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, a equipe da SAv visitará, em data a ser ainda definida, as regiões Norte e Centro-Oeste.

O encontro, que contará com o apoio da Representações Regionais do MinC na Bahia e no Nordeste, terá inicio na manhã do sábado, 21 de maio. Às 10h acontecerá a mesa de debate Do Fomento à Produção: o audiovisual nordeste do Brasil no auditório da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRC). A mediação do debate ficará por conta do representante da Associação Baiana de Cinema e Vídeo (ABCV), Mateus Damasceno e terá a presença da secretária de Audiovisual do MinC, Ana Paula Santana.

A programação do evento inclui, no domingo (22), um percurso dos participantes pela região quando visitarão o primeiro cinema da Região (fundado em 1922 e atualmente sendo restaurado pelo Instituto de Patrimônio Histório de Artístico Nacional), além de patrimônios étnicos religiosos que serviram de cenário para diversos filmes e os Cineclubes das cidades de Cachoeira, São Felix e Iguape.


Para participar, os interessados não precisam se inscrever, basta comparecer ao local.

Para mais informações: audiovisual@cultura.gov.br

14 de abr de 2011

Encontros Rumo à Cidadania Cultural


MinC faz série de dez reuniões regionais sobre os programas Cultura Viva e Brasil Plural

O Ministério da Cultura (MinC) começa, na quinta-feira, 7 de abril, uma série de dez encontros regionais com diversos segmentos sociais, como artistas, produtores, gestores, coletivos e grupos do setor cultural, universidades e participantes dos programas Cultura Viva e Brasil Plural.
Batizadas de Encontros Rumo à Cidadania Cultural, as reuniões têm como objetivo discutir os caminhos para as políticas públicas no campo da cidadania e da diversidade cultural, além de apresentar as propostas da nova Secretaria da pasta(em processo de criação), resultado da fusão das secretarias de Cidadania Cultural (SCC) e Identidade e Diversidade (SID).

As discussões também se propõem a ampliar o diálogo com fóruns e dirigentes de cultura de estados e municípios de todo o país, a fim de fortalecer as parcerias existentes, repactuar estratégias e abrir novos caminhos.

Para a secretária Marta Porto, “os encontros representam um primeiro momento de apresentação das diretrizes pensadas para a nova Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural, sendo ainda um espaço de afirmação do diálogo da nova gestão com a sociedade”, ressaltou.
O calendário foi definido em conjunto com os chefes das representações regionais do MinC, reunidos em Brasília no último dia 30 de março (foto).


Calendário dos encontros

Os encontros começam em Belo Horizonte (MG) no dia 7 de abril. No dia 12, será a vez de Salvador (BA). São Paulo (SP) será a terceira capital a receber o Encontros Rumo à Cidadania Cultural, no dia 14. E no dia 15, aproveitando o Encontro Nacional dos Mestres e Griôs que acontecerá no Rio de Janeiro, a nova secretaria discutirá com os cariocas as políticas à cidadania cultural. A região Sul encerra o mês de abril com dois encontros: Florianópolis (SC) no dia 19 e Porto Alegre (RS) no dia 20 de abril.



Em maio, os encontros começam pelo norte do Brasil, chegando a Belém (PA) no dia 10.
Recife (PE) terá a chance de dialogar com a nova SCDC/MinC no dia 17 de maio. O penúltimo encontro acontecerá em Goiânia (GO), dia 24. E fechando a agenda nacional, Manaus (AM) sediará o segundo encontro na região norte no dia 31.


Essa agenda é apenas uma primeira etapa de encontros do MinC com a sociedade. Um nova fase será organizada a partir do mês de junho, chegando aos demais estados da federação.
Informações sobre locais e horários dos Encontros Rumo à Cidadania Cultural estarão disponíveis na página web do MinC e através do perfis no Twitter @culturaviva e @culturagovbr.

Abril 2011

Dia 7: Belo Horizonte, MG
Dia 12: Salvador, BA
Dia 14: São Paulo, SP
Dia 15: Rio de janeiro, RJ
Dia 19: Florianópolis, SC
Dia 20: Porto Alegre, RS



Maio 2011

Dia 10: Belém, PA
Dia 17: Recife, PE
Dia 24: Goiânia, GO
Dia 31: Manaus, AM



6 de abr de 2011

Projeto Identidade e Região: Laboratório Caiçara de Produção Audiovisual conquista apoio da USP e integra o “Mesh com Moedas Criativas” da "Cidade do Conhecimento"

Quanto vale uma ideia? Quais as estratégias empresariais para garantir lugar ao sol na fronteira da inovação tecnológica? Os 21 projetos classificados no concurso de projetos iPEA 2011 – Inovação em Projetos para a Economia do Audiovisual, apresentados ao longo do evento “Mesh com Moedas Criativas”, oferecem respostas inovadoras e sustentáveis. Contam a partir de agora com o apoio da Cidade do Conhecimento e receberão orientação de especialistas para aprimoramento tecnológico, captação de recursos e consolidação de parcerias.

A competição entre projetos contou com apresentações pela internet de concorrentes de Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro e a presença de líderes de projetos de Taubaté, Atibaia, São José dos Campos e Cataguazes. Os projetos foram classificados em três categorias: cidadania (sem fins lucrativos), empreendedorismo inovador (com fins lucrativos) e novos formatos audiovisuais.



O “pitching” de projetos resulta em benefícios como o encaminhamento de ideias para o “Framework Program 7″ da União Européia, por meio do consórcio PRO-IDEAL. A competição contou ainda com o apoio da GVcepe (FGC-SP) e da empresa Aceleradora. A iniciativa é uma parceria da Cidade do Conhecimento com o Núcleo de Pesquisa em Política e Gestão Tecnológica (PGT) da USP.

O ciclo de oficinas, debates, conferências e concurso de projetos teve o patrocínio do BNDES, do Ministério da Cultura e da Mozilla, apoio do Grupo Estado e gestão com a Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo (FUSP) e a Associação de Apoio a Arte e Comunicação (ARCO). No evento, foi lançada a tradução brasileira do livro “The Mesh”, de Lisa Gansky, com Prefácio de Gilson Schwartz e Luis Alberto Sota.


Os projetos selecionados foram avaliados a partir de critérios como originalidade, consistência, escalabilidade, sustentabilidade e apresentação.

“Mesh com Moedas Criativas”: 21 projetos selecionados em 3 categorias

Propostas Selecionadas

Cidadania sem fins lucrativos
Boa Praça
Caça-Talentos
Laboratório Visuoespacial
Ligação
M@es na Rede
Speaker
terceir@idade

Empreendedorismo Inovador com fins lucrativos
BuyMobi
CATS
Comece a Gravar
Entreposto
M-remmitance
Urbanias Ville
VideoChoice

Novos Formatos Audiovisuais
Fragments of Parenthood
Kalapalos e as Canoas de Jatobá
http://www.identidaderegiao.com.br/Identidade e Região: Laboratório Caiçara de Produção Audiovisual
MotoAnjos
PROAR
Quebradas Criativas
VTeatro

Conheça o site brasileiro do Mesh!


Conheça o Programa Geral do evento.


Veja, ainda, a Programação de Debates e a Programação das Conferências.


Conheça o Programa das Oficinas.


Conheça os responsáveis pelas oficinas, sinopses e tópicos de cada oficina a ser oferecida entre 22 e 26 de março de 2011 na USP: Oficinas